Treino Funcional para músicos: Da prevenção da lesão à potenciação da performance.

PrintPrint

Enquadramento e definição
Um dos objetivos prioritários a desenvolver será dotar o formando de conhecimentos anatómicos, funcionais e posturais que permitam a identificação dos principais fatores de risco de lesão nos músicos e justificam a elevada incidência de tecnopatias nesse grupo profissional/ocupacional.

A partir dessa identificação, o formando será apresentado a diferentes protocolos de treino/áreas de conhecimento (por exemplo, RPG, trabalho isométrico, trabalho hipopressivo, treino funcional do core, Técnica de Alexander, trigger point – libertação mio-fascial, entre outras) que poderão ser utilizadas para reduzir o risco de lesão do músico e potenciar a sua performance.
A reeducação postural e o desenvolvimento propriocetivo, buscando uma maior consciencialização corporal, serão uma componente central em todo o processo de treino físico do músico traduzindo-se em aspetos centrais de toda a formação.

O desenvolvimento de um trabalho compensatório, reeducativo e de reforço efetuado em pequenas rotinas de aquecimento, libertando o músico de esforços de correção postural durante a sua prática instrumental, iniciarão o formando numa perspetiva diferente do trabalho preventivo tradicionalmente sugerido. Assim, o formando adquirirá uma perspetiva distinta e libertadora da tradicional “correção postural na prática instrumental”, frequentemente de difícil implementação e com resultados perversos na performance instrumental. A busca de estratégias de treino que compensem funcionalmente o músico libertando-o na sua performance musical, trarão uma alternativa ao trabalho postural tradicionalmente desenvolvido com os músicos. Assim, professores, estudantes e profissionais da prática instrumental serão apresentados a novas formas de prevenir lesões e potenciar a sua performance.
 

Avaliação

  1. Participação na formação (registo de presenças e participação);
  2. Realização de uma ficha de conhecimentos com a duração de duas horas (teste sumativo);
  3. Apresentação de uma rotina de trabalho físico enquadrada nos objetivos propostos e selecionados pelo formando. Essa rotina será apresentada em pequenos grupos (número variável dependendo dos elementos participantes na formação). A rotina de reeducação/prevenção de lesões/potenciação de performance terá uma duração de 5 a 10 minutos. Essa apresentação prática será avaliada com recurso a uma lista de verificação e através da observação direta apoiada pela apresentação argumentativa da seleção de exercícios apresentados. A rotina de exercitação profilática será ainda entregue em suporte digital, com a descrição dos objetivos dos exercícios apresentados e uma fundamentação teórica para a sua sequência.
     
Área de Estudos: 
Artes
Grau de Ensino: 
Formação Avançada
Campus: 
Campus Foz
Destinatários: 

Professores dos 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico
Professores do Ensino Secundário
Músico instrumentista
Estudante de música
Professores do Ensino Superior

Horários: 

Nº de horas: 25h a 50h, dependendo do número de inscritos. A componente prática da formação deverá contemplar sessões de trabalho com grupos mais reduzido (8 a 10 formandos).

Propinas: 

200€

11 Vagas

Coordenação: 

Coordenação científica: Nuno Caçote

Coordenação do curso: Vasco Rigolet Neves

Contactos: 

Estudos Avançados e Formação
Tel: 22 619 62 02 / 43
formacao.avancada@porto.ucp.pt

Universidade Católica Portuguesa
Rua Diogo Botelho, 1327 | 4169-005 Porto